Tríptico

Um dia, uma mulher de bem
e uma mulher do mal
(que nada mais é que
uma mulher emancipada)
encontraram uma puta
Assim, em plena luz do dia
E se entreolharam sem conseguir compreender
como poderia uma mulher com o sexo
ganhar, não a morte, mas sim, a vida?

Liturgia

A mulher violentada
no crucifixo do artista cartunista
a mulher-cristo,
caricatura da santa missa
virtual:
Rogai por nós, pecadores!

A mulher-cristo-crucificada
Comentários espinham a memória
da mulher-messias
Emanuel ou Emmanuelle?
Profetisa ou profana?

Compartilhamentos postulam:
Pai, afasta de mim este cálice!
E: Por que nos abandonaste?
Enforca-se um Judas ou outro,
enquanto envergonham-se Pedros
por terem três vezes negado a Cristos

Alguns dias depois,
Marias Madalenas e Salomés esvaziarão o sepulcro
não tardando a atualização de um novo Gólgota.

Botânica

Árvore ginecológica
Célula tronco
Dolorosa poda feminina
Enxertos
formando uma mulher híbrida

Melhor será a flor
Morta a mulher

Melhor será a flor

Deflora-a
Colhe a seiva dos caules
Arranca-lhe os espinhos
Deixando-a nua
A nudez lisa das flores plásticas

Eterna a flor
liberta de sua natureza e_fême®a

 

Erupta

Quando a mulher era uma ilha vulcânica
ela abria as pernas e sua vulva
relaxada exalava magma

O homem era um náufrago perdido nas águas

Pelas ondas arrojado,
o homem escalou os dois montes-seios
Estupefato provou do leite salino que deles saíam
Do alto da montanha
viu o homem que a mulher não estava só:
Era um arquipélago

E o homem temeu a cordilheira superfície da mulher.

Capítulo XIII

Quando eu era menina
Falava como menina
Sentia como menina
E também falava como menino
Discorria enquanto menina
Discordava das outras
E dos meninos

Mas logo que cheguei a ser mulher
Acabei com as coisas de menina
E de menino
Porque agora me vejo pelo espelho
E me permaneço enigma
Já não me vejo:
Face a face
Conheço-me em partes
Conheço-me como sou conhecida

Agora permanece sobre mim a Fé
Desesperança minha
Desigualdade

Será maior que elas,
o Amor?

Quando eu era menina
Falava como menina
Sentia como menina
Mas logo que cheguei a ser mulher…

 

©Aline Djokic, 2017