Poesia

Erupta

Quando a mulher era uma ilha vulcânica
ela abria as pernas e sua vulva
relaxada exalava magma

O homem era um náufrago perdido nas águas

Pelas ondas arrojado,
o homem escalou os dois montes-seios
Estupefato provou do leite salino que deles saíam
Do alto da montanha
viu o homem que a mulher não estava só:
Era um arquipélago

E o homem temeu a cordilheira superfície da mulher.