Poesia

Romance

Toco as teclas do meu teclado
Toco-as
As afago

Roço as teclas do meu teclado
a sentir nos dedos abrirem-se
os botões

Discorre-me lânguida a narrativa
afrouxa-me os membros
e enreda-me os sentidos

Invoco símbolos cadentes
Metamorfose diegética
onde o encontro das minhas mãos formam a letra V
verdejando o relicário terno e trêmulo

Digito célere
códigos Morse

Movimentos circulares e
movimentos frenéticos
que são interrompidos por espasmos,
pelo som liquefeito
e gemido
que me sai da boca

Fim do primeiro capítulo.

Poesia

Capítulo XIII

Quando eu era menina
Falava como menina
Sentia como menina
E também falava como menino
Discorria enquanto menina
Discordava das outras
E dos meninos

Mas logo que cheguei a ser mulher
Acabei com as coisas de menina
E de menino
Porque agora me vejo pelo espelho
E me permaneço enigma
Já não me vejo:
Face a face
Conheço-me em partes
Conheço-me como sou conhecida

Agora permanece sobre mim a Fé
Desesperança minha
Desigualdade

Será maior que elas,
o Amor?

Quando eu era menina
Falava como menina
Sentia como menina
Mas logo que cheguei a ser mulher…

 

©Aline Djokic, 2017