Poesia

Madura

Indeiscente
quero que me colhas o fruto
antes que o pericarpo apodreça
que as tuas mãos afastem a pele fina
e a tua língua adentre a carne
úmida do suco que envolve a semente

e que ma arranques
com a pressão dos teus lábios
extasiados       banhados
pela explosão da minha semente:
samambaia fecunda.

©Aline Djokic, 2017

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s