Poesia

Capítulo XIII

Quando eu era menina
Falava como menina
Sentia como menina
E também falava como menino
Discorria enquanto menina
Discordava das outras
E dos meninos

Mas logo que cheguei a ser mulher
Acabei com as coisas de menina
E de menino
Porque agora me vejo pelo espelho
E me permaneço enigma
Já não me vejo:
Face a face
Conheço-me em partes
Conheço-me como sou conhecida

Agora permanece sobre mim a Fé
Desesperança minha
Desigualdade

Será maior que elas,
o Amor?

Quando eu era menina
Falava como menina
Sentia como menina
Mas logo que cheguei a ser mulher…

 

©Aline Djokic, 2017

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s